Jekyll, passo a passo


A descrição das várias tecnologias utilizadas para a construção deste blog. Estão descritas todas as etapas necessárias.


O artigo, nesta semana, irá sofrer algumas alterações porque ainda estou a fazer alterações ao meu blog.

No meu primeiro artigo decidi partilhar a pesquisa que fiz sobre várias plataformas que poderiam substituir o meu antigo blog.

Dos requisitos que estabeleci o vencedor foi o Jekyll, um gerador de páginas estáticas muito simples de se usar e com grandes funcionalidades.

Vou explicar todos os passos percorridos que foram necessários para a criação do blog desde da configuração do alojamento, configuração de um sub-domínio, configuração do gestor de comentários, entre outros pormenores que decidi implementar.


Opções & Requisitos


GitHub Pages

Por defeito, GitHub Pages está alojado no repositório <username>.github.com. Para se alojar uma página de um projecto, apenas é necessário criar um branch do repositório do projecto gh-pages. No meu caso, criei um repositório chamado “blog” e reproduzi-o na minha máquina local. Criei o branch e fiz push. …

git clone <repo> blog

touch index.html

git add -A

git commit -m"init"

git push origin master

git checkout -b gh-pages

Alteração para assumir o sub-domínio:

nano CNAME

adicionar o sub-domínio: blog.ricardopereira.eu e fazer push das alterações:

git add -A

git commit -m"Blog init"

git push origin gh-pages

Para que o master fique actualizado apenas temos que garantir que apenas efectuados as alterações no branch.

git checkout master

git merge gh-pages

git push origin master

git checkout gh-pages

Logo, podemos aceder à página do repositório com:

<username>.github.io/blog ou blog.ricardopereira.eu

Em actualização…

Abraço,

Ricardo Pereira



Comments

comments powered by Disqus